Vítimas de violência doméstica recebem cestas básicas de Campanha e Patrulha

Por

Mulheres que sofreram violência doméstica e que estão em medida protetiva do Poder Judiciário receberam cestas básicas da campanha “Vem Ser Mais Solidário – MT unido contra o coronavírus”. A equipe da Patrulha Maria da Penha é a responsável pela entrega dos alimentos, já que, durante o patrulhamento realizado pelos profissionais da Polícia Militar, eles identificaram as necessidades das vítimas. As beneficiadas são em sua maioria mulheres que estão em situação de vulnerabilidade social e econômica, se enquadrando no perfil de público atendido pela ação social do Governo do Estado.

A campanha, que é realizada pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc), sendo liderada voluntariamente pela primeira-dama, Virginia Mendes, visa distribuir kits de alimentos e de produtos de higiene e de limpeza para as famílias mais carentes e que estão sofrendo com os efeitos da pandemia do novo coronavírus.

Através da Patrulha, em Cuiabá, já foram distribuídas cerca de 30 cestas básicas. “São mulheres que tiveram suas fontes de renda prejudicada e que, em muitos casos, dependiam do seu agressor para colocar comida na mesa. A Patrulha acompanha essas vítimas oferecendo segurança e apoio, identificando também àquelas que estão em situação mais crítica economicamente”, pontuou a coordenadora da Patrulha Maria da Penha do 1° Comando Regional da PMMT, tenente Denyse Pereira Valadão Alves, acrescentando que a parceria com a Setasc é de extrema importância para as beneficiárias.

A secretária da Setasc, Rosamaria Carvalho, lembrou que uma das bandeiras da Secretaria é defender o direito das mulheres vítimas de agressão. “Estamos empenhados em contribuir com políticas públicas de amparo à mulher. A distribuição de alimentos para as pessoas que não têm condições financeiras é um forma do Estado mostrar que está sensível as causas sociais”.

Patrulha Maria da Penha

A Patrulha Maria da Penha efetiva a proteção de mulheres que têm medidas protetivas. O trabalho da Patrulha tem como objetivo a fiscalização das medidas protetivas já definidas pelo Judiciário, da Primeira e Segunda Vara de violência doméstica. As vítimas recebem visitas frequentes Polícia Militar verificando uma possível situação de risco. O monitoramento, que também é feito junto ao agressor, só termina quando há vítima volta ter a sensação de segurança e continuar a vida normalmente.

Da Assessoria

 

Você pode gostar