Reinfecção por covid-19 pode influenciar a segunda onda e a eficácia das vacinas?

Por

Receber o diagnóstico de covid-19 não é nada fácil. Afinal, a doença está cercada de incertezas do ponto de vista médico e científico e de inseguranças de uma perspectiva pessoal.

Agora, imagine se recuperar do quadro e, algumas semanas depois, voltar a sofrer com sintomas sugestivos dessa infecção, como febre, tosse seca, cansaço e falta de ar. Na sequência, um novo exame confirma a suspeita: o coronavírus invadiu o organismo novamente.

Sim, a reinfecção pode acontecer e há algumas dezenas de casos confirmados no mundo. A boa notícia é que, pelo que foi observado até o momento, essa possibilidade é raríssima.

Vamos aos números: de acordo com a agência de notícias holandesa BNO News, um dos únicos veículos a compilar dados globais sobre esse assunto, há atualmente 26 casos confirmados de reinfecção no planeta. Desses, 25 pacientes se recuperaram bem e apenas um morreu. A média de tempo entre o primeiro e o segundo episódio de covid-19 é de 76 dias.

O site ainda calcula que existam outros 893 casos suspeitos de reinfecção, que ainda precisam ser analisados mais de perto.

Você pode gostar