Procura por apps de transporte recua 75% em março

Por

A procura de usuários por aplicativos de transnportes, como Uber, 99 Taxi e Cabify, diminuiu 75,9% durante março, mês em que se iniciou no país o isolamento social por conta da pandemia do novo coronavírus.

A conclusão é de uma pesquisa realizada entre 2 e 29 de março pelo aplicativo de gestão financeira Guiabolso. Participaram 254 mil pessoas.

De acordo com o levantamento, quase 24% dos brasileiros mantinham algum tipo de gasto com um desses aplicativos na primeira semana de março.

Já na quarta semana, quando o confinamento da população foi adotado, ou recomendado, por governadores e prefeitos, a porcentagem de procura caiu para 6%. A queda é de 18 pontos percentuais, o que representa uma redução de 3/4 na procura.

“O lado bom é que as pessoas estão conseguindo economizar, pois não estão nem conseguindo sair de casa. Do outro lado, o autônomo está tendo uma perda considerável”, analisa a economista Yolanda Fordelone, que comandou a pesquisa.

Durante o período analisado, o gasto médio por pessoa com aplicativos de transporte caiu quase pela metade: de R$ 63 para R$ 37.

Controle

Em meio à redução de gastos, Yolanda recomenda que os brasileiros adotem duas atitudes: direcionar as economias que estão tendo e manter o controle das finanças.

“Em seguida, organize os gastos e a renda em uma planilha. A gente está entrando em abril. Então, quais as contas que vão chegar em maio?”, questiona.

Outros gastos

Não foram só os gastos com aplicativos de transportes que caíram durante o mês da quarentena.

A porcentagem de pessoas que gastam em bares e restaurantes caiu de 60% para 35% no período analisado. O gasto médio por pessoa saiu de R$ 225 para R$ 194.

Nesse caso, contudo, Yolanda destaca que a pesquisa contou com restaurantes que começaram a fazer entregas (excluídos apps de comida) em meio às exigências impostas pelos governadores.

Por outro lado, a porcentagem subiu de 10% para 16% de pessoas com algum tipo de gasto com os aplicativos de comida, como iFood e Uber Eats.

Já o gasto médio com supermercado subiu 37,7% entre a semana de 9 de março a 16 de março – primeira semana de quarentena.

“O que a gente vê é que as pessoas voltaram a consumir realmente o que necessitam”, destaca a economista.

Fonte: METROPÓLES

Você pode gostar