Moro pulou do navio antes do ‘Titanic afundar de vez’

Por

Sergio Moro, agora ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, ao se demitir em frente às câmeras de TV, “pulou do navio antes que esse Titanic afunde de vez”, avalia a cientista política americana Amy Erica Smith.

Smith, que é professora da Iowa State University, nos Estados Unidos, e especialista em política brasileira e movimentos evangélicos, diz acreditar que Moro esteja genuinamente preocupado com o Estado de Direito no Brasil ao afirmar que seu ex-chefe, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), está tentando politizar o comando da Polícia Federal (PF).

E que ele não descuidou de sua própria imagem, ao decidir não apenas pedir demissão, mas transformar a saída quase em uma denúncia das ações recentes de Bolsonaro.

Em entrevista por telefone à BBC News Brasil, Smith questiona ainda a “urgência de Bolsonaro” em interferir na PF em um momento político já frágil, em meio à pandemia de coronavírus.

Autora de Religião e Democracia Brasileira: Mobilizando o Povo de Deus, lançado em 2019, ela afirma que os evangélicos seguem como a base do apoio popular do presidente, graças à agenda anti-aborto e às políticas de gênero e sexualidade que o governo defende.

Da BBC News Brasil

Você pode gostar