Governo começa a pagar auxílio emergencial de R$ 600 nesta quinta

Por

O governo anunciou nesta terça-feira (07/04) o calendário para o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 para trabalhadores informais.

Os informais e pessoas inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) devem começar a receber o benefício na próxima quinta-feira (09/04). Segundo o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, até o momento foram levantados 10 milhões de brasileiros nesta situação. “Os dados foram enviados para a Caixa, devem ser processados e pagos na quinta-feira”, afirmou.

A segunda parcela será paga ainda em abril, dos dias 27 a 30, conforme as datas de aniversário dos beneficiários, assim como ocorreu no saque imediato do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

“A terceira parcela será paga nos dias 26, 27, 28 e 29 de maio. Ou seja, nos próximos 45 dias nós faremos os três pagamentos desse benefício”, disse o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

Pessoas que recebem o Bolsa Família em valores inferiores a R$ 600 serão inclusos automaticamente no programa de renda emergencial. Para eles, o calendário segue o mesmo do Bolsa Família, a ser creditado a partir do dia 16.

Também nesta terça-feira (07/04), a Caixa lançou o site e o aplicativo para solicitação do benefício emergencial de R$ 600 a trabalhadores informais, autônomos, e microempreendedores individuais. Além disso, o governo criou um canal para dúvidas por meio do telefone 111.

Quem estiver inscrito no Cadastro Único e no Bolsa Família não precisa fazer o cadastro no site ou aplicativo. O pagamento, nesse caso, é feito de forma automática.

O governo estima pagar R$ 98 bilhões de auxílio nos próximos 45 dias. O benefício foi criado para recompor a renda do brasileiro durante a pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Quem pode receber o benefício?
Para ter direito ao auxílio emergencial, o candidato deve ter mais de 18 anos, não estar empregado formalmente e não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou outro programa de transferência de renda que não seja o Bolsa Família.

Além disso, deve ter renda mensal por pessoa de meio salário mínimo (R$ 522,50) ou familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135).

Trabalhadores que atuam como microempreendedores individuais, contribuintes do Regime Geral de Previdência Social ou inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) têm direito.

Os autônomos e sem renda fixa que não se inscreveram no Cadastro Único (CadÚnico) até o último dia 20 de março também fazem jus ao auxílio emergencial de até R$ 1,2 mil mensais.

Como será feito o pagamento?
O pagamento do auxílio emergencial será feito por meio de bancos públicos, mediante conta do tipo poupança social digital. Ela será aberta automaticamente em nome dos beneficiários, com dispensa da apresentação de documentos e de tarifas de manutenção.

A conta pode ser a mesma usada para o pagamento de outros benefícios, como o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Nesta terça-feira (07/04), o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, anunciou que o banco vai criar cerca de 30 milhões de contas para pagar o auxílio.

Você pode gostar