Festas, viagens, férias: dicas para manter as famílias em segurança

Por

Mesmo que 2020 tenha sido um ano atípico, estamos em um período em que as pessoas tendem a festejar, viajar e curtir as férias, momentos normalmente oportunos para aglomerações.

 “A despeito da época, temos que reforçar a nossa própria consciência e a coletiva no que tange às barreiras já muito bem estabelecidas que reduzem transmissão do coronavírus: máscara, higiene de mãos e distanciamento! De novo: máscara, higiene de mãos e distanciamento!”, alerta a infectologista e coordenadora de Qualidade e Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Águas Claras, Maria de Lourdes Worisch.

A retrospectiva dos cuidados é fundamental. Por isso, convidamos quatro médicos para responder algumas dúvidas:

Ortopedia – Rodrigo Caselli, cirurgião de trauma

Quais os cuidados que devemos ter neste período, especialmente no Réveillon?

Infelizmente, festas de final de ano levam a um consumo exagerado de álcool e consequentemente, ao aumento dos casos de violência e acidentes de trânsito. Se beber, não dirija. Pratique um consumo moderado de álcool. Evite aglomerações e confusões. Nos preparativos em casa, evite subir em cadeiras ou caixas para colocar enfeites ou luzes. Utilize escadas de forma segura.

Se acontecer algum acidente, o que deve ser feito?

No caso de traumas graves, deve-se manter a calma e ligar para os serviços de emergência 192 ou 193 e seguir as orientações. Se houver algum sinal de sangramento importante, tente comprimir com pano limpo até a chegada do socorro. No caso de acidentes menos graves, como quedas ou pequenos ferimentos, procure uma avaliação médica. Em caso de queimaduras, não utilize soluções caseiras. Proteja o ferimento com pano limpo e úmido e procure o serviço médico. Não precisa ter medo de ir ao hospital por causa da Covid-19, há fluxos seguros de circulação de pacientes.

Alguma dica para prevenir acidentes mais comuns nas férias?

No caso da prática de esportes, radicais ou não, use sempre equipamentos adequados de segurança. Especialmente no caso de bicicletas, patins, skates e patinetes, é preciso ter atenção ao uso de capacetes e ao respeito às leis de trânsito.

Ginecologia – Marcus Vinicius Barbosa de Paula, coordenador da Ginecologia no Hospital Brasília e Hospital Águas Claras

As gestantes precisam fazer algum exame específico neste período? Quais os principais cuidados que elas devem ter?

Não há necessidade de realização de exames além dos habituais do pré-natal para as viagens nas pacientes assintomáticas. Não há restrições em relação aos alimentos da ceia de Ano Novo, somente devemos ter receio com os alimentos que já orientamos normalmente durante todo o pré-natal. Sempre lembrando de evitar os excessos de gordura e carboidratos para evitar o aumento de peso excessivo na gravidez

As gestantes podem viajar?

As viagens devem ter intervalos de paradas regulares a cada 2 horas para caminhada devido ao risco aumentado de trombose por imobilização por longos períodos. As viagens aéreas devem ter liberação médica de acordo com a recomendação da companhia aérea por meio de relatório médico e cartão de pré-natal comprovando idade gestacional.

As mulheres estão mais vulneráveis às infecções nesta época do ano? Quais as mais comuns?

As mulheres podem estar mais propensas a infecções vaginais como candidíase, devido à umidade e calor. Além disso, todas as pessoas estão sujeitas ao risco maior de desidratação, insolação e de intoxicação alimentar pelos alimentos deixados sem refrigeração. Para as mulheres, é preciso ter cuidado com o uso de roupas íntimas ou molhadas por longos períodos.

Pediatria – Mario Ferreira Carpi, coordenador do pronto-socorro pediátrico do Hospital Águas Claras

O que os pais podem fazer para prevenir acidentes com crianças nas férias?

Quedas, queimaduras com líquidos quentes e elétricas, intoxicações por meio de medicamentos e produtos de limpeza e os afogamentos são acidentes que podem ocorrer com maior frequência. Como não conseguimos estar vigilantes o tempo todo, sugiro algumas medidas preventivas: limitar o acesso das crianças à cozinha e área de serviço; cercar as piscinas com grades ou, ao menos cobri-las com capas de proteção específicas; jamais deixar crianças na piscina sem supervisão ou confiando nas boias de braço; manter equipamentos de flutuação acessíveis na piscina, como pranchas e boias salva-vidas.

Além disso, não deixar medicamentos ao alcance das crianças e nem móveis ou cadeiras perto de parapeitos de janelas ou sacadas. Para os que vão viajar para a praia, o alerta é para utilização do protetor solar. Não se esqueça também de oferecer bastante água aos pequenos.

Como proceder com as crianças em voos e embarcações?

Os cuidados para prevenir a Covid 19 são os mesmos já amplamente divulgados: manter o distanciamento social, evitar as aglomerações, utilizar máscaras em locais públicos (exceto em crianças menores de 2 anos de idade) e higienizar as mãos. Dentro do avião, não há como manter distanciamento, mas há como manter a higienização das mãos por meio do uso de álcool gel 70% (leve consigo o seu próprio) e o uso de máscara.

Na ceia de Ano Novo, alguma recomendação especial para as crianças?

Dois tipos de problemas podem ocorrer nestas ocasiões de festas e de férias: as alergias e as intoxicações alimentares. A dica é evitar oferecer para as crianças alimentos com maior potencial alergênico. Quanto aos bebês, as proteínas do leite de vaca e do ovo devem ser evitadas. Para as crianças em geral, evite frutos do mar, castanhas, amendoim, frutas vermelhas e kiwi. Evite ainda alimentos crus ou mal cozidos. E é sempre bom lembrar: os cuidados com a preparação dos alimentos e com a higiene das mãos devem ser constantes.

Infectologia – Maria de Lourdes Worisch, coordenadora de Qualidade e Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Águas Claras

É possível estar protegido em festas de final de ano?

Em primeiro lugar, evite aglomerações. Em encontros e passeios, ao comer e beber, guarde a máscara em um saco plástico (lembre-se: a máscara deve estar limpa e seca a cada uso). Sempre carregue uma máscara extra para troca quando a anterior ficar úmida, suja ou com muito tempo de uso.

Importante fazer a higiene de mãos com álcool constantemente e em uma quantidade que contemple todas as áreas, incluindo punhos.

Alguma restrição com relação aos encontros familiares?

É preciso estar alerta a quem não pode participar das festividades: pessoas com sintomas, diagnosticadas (com ou sem teste) ou com menos de 14 dias da infecção ou que estiveram com alguém doente com menos de 14 dias. Estas pessoas não devem nem sair de casa.

E com os grupos de risco, qual deve ser o procedimento?

Os idosos precisam de cuidados especiais. Eles são o grupo mais vulnerável à doença e representam mais de 70% dos óbitos por covid-19 no Brasil. As recomendações para este grupo precisam ser respeitadas com responsabilidade. Além disso, portadores de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, asma, doenças pulmonares, doenças renais avançadas, imunodeprimidos, gestantes e puérperas, também precisam seguir as recomendações o máximo possível, inclusive levando em consideração a possibilidade de manter-se em isolamento.

POR NOTÍCIAS AO MINUTO BRASIL

Você pode gostar