Empresas de bebidas têm boom na pandemia: “Antes vendíamos mais para bares. Agora sai mais latão”

Por

O Brasil registrou aproximadamente 48,4 mil novas distribuidoras varejistas de bebidas entre janeiro e outubro deste ano. O número representa alta de 76% em relação ao mesmo período de 2019, quando 27,5 mil empresas desse segmento foram abertas.

A quantidade de novos empreendimentos abertos e a taxa de crescimento são as maiores registradas pelo menos desde 2010, início da série histórica analisada pelo Metrópoles. Os dados são da Receita Federal.

Na prática, o número de novas empresas do setor tem crescido ano após ano (com exceção de 2018, quando se manteve estável). No entanto, há 10 anos o país não registrava um crescimento tão forte como nesses últimos meses – mesmo com a quarentena em todo o país devido à pandemia do coronavírus.

“Naturalmente se tem o crescimento de atividades de varejo de bebidas, mas, na pandemia, a gente também teve um aumento de comercialização pelo e-commerce, o que ajuda a entender essa alta”, conta.

Os meses que registraram os maiores números em 2020, inclusive, foram justamente após o estopim da crise do coronavírus no país. Julho, agosto, setembro e outubro tiveram, cada, mais de 6 mil novas distribuidoras no país.

Até então, o maior saldo de toda a série histórica havia sido registrado em junho deste ano, com 4,8 mil novos comércios varejistas de bebidas. Em janeiro de 2019, por exemplo, pouco mais de 4 mil empresas foram abertas no setor.

O empresário André Victor, de 24 anos, faz parte desse vasto grupo. Ele abriu, ao lado de outros dois sócios, uma distribuidora de bebidas – batizada de Me Salva – na Asa Norte, em Brasília (DF), no último mês de novembro.

“A gente já tinha essa ideia há um tempo. E, aí, com o fato de a pandemia ter chegado, a gente viu essa dificuldade de ter que sair de casa para comprar bebida. Então a gente vende muito mais focado nessa parte de delivery”, diz.

Fator pandemia

Dessa maneira, a pandemia do novo coronavírus, segundo ele, não foi um problema, mas um fator positivo para a abertura do comércio. Foi por causa da crise também que ele conseguiu um “preço bacana” de aluguel da loja.

O empresário Mauro Antônio, que inaugurou a Pontual Beer’s em 2005, em Belo Horizonte (MG), tem sentido o peso da concorrência cada vez mais. “É uma distribuidora a cada esquina. Só na minha rua tem três”, afirma.

METRÓPOLES

Você pode gostar