CPI da Covid: o momento em que presidente da comissão manda prender ex-diretor do Ministério da Saúde

Por

O presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), determinou a prisão do diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, sob acusação de que ele teria mentido em seu depoimento.

Segundo Aziz, Dias cometeu perjúrio ao dizer que não havia marcado um encontro com o empresário e policial Luiz Paulo Dominguetti em 25 de fevereiro, num restaurante em Brasília.

Dominguetti, que se apresenta como representante da Davati Medical Supply, diz que o encontro serviu para tratar de uma oferta de 400 milhões de doses da vacina Astrazeneca ao Ministério da Saúde.

Segundo ele, Dias pediu propina durante esse jantar para que o contrato fosse fechado.

A versão do ex-diretor de Logística é que estava tomando um chope com um amigo quando Dominguetti chegou de surpresa no restaurante em companhia do tenente-coronel Marcelo Blanco, ex-assessor do Ministério da Saúde.

Dias também nega que tenha pedido propina e disse que não levou adiante a oferta da Davati dentro do ministério porque, ao receber oficialmente Dominguetti no dia seguinte, ele não apresentou documentos comprovando que a empresa tinha as vacinas para entregar.

A AstraZeneca já disse oficialmente que não trabalha em parceria com a Davati.

Leia mais: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-57752313

Você pode gostar