Comi muito hoje. Adianta comer pouco amanhã para compensar?

Por

Somos ensinados a não fazer compensações depois de excessos alimentares. Com esse pensamento, muitas vezes mal explicado, a maioria das pessoas iniciam e encerram um ciclo de exageros sem nenhum tipo de cuidado.

Quem alerta é o nutricionista Sidney Veloso. O que fazer, então, após os dias em que enfiamos o “pé na jaca”? “Tentando esclarecer, a compensação não é ruim, desde que você não faça de modo descabido”, salienta o profissional.

O expert cita alguns exemplos: passar dias tomando suco detox (que, aliás, são pouco efetivos), jejuando sem nenhum tipo de orientação ou adaptação, comendo apenas salada e água, ou tomando litros de chá… E esperar, por meio dessas estratégias, um milagre. Esse tipo de extremismo, ele assegura, não resolve.

“Gosto da ideia do cuidado mais acentuado, porém, sem exageros. Digo aos meus pacientes: você vai ‘se preparar para’ ou ‘pagar por’. Oriento-os a escolher qual destes vai funcionar melhor em sua cabeça”, complementa.

Há quem prefira “pagar por”, ou seja, compensar depois experimentar algo que está fora da dieta. “Nesse caso, eles tentam ter o mínimo possível de erros após uma exceção. Entenda: é uma estratégia de ser mais rigoroso com o que você já faz”, diz. Outros optam por “se preparar para”. Esse grupo prefere ser cauteloso e cometer o mínimo possível de erros nos dias que antecedem a exceção, ou seja, degustar algo que não esteja incluso em seu planejamento alimentar.

“O importante é que, nesta visão, você será mais cuidadoso dentro do que já faz. Não precisa inventar moda ou passar fome, apenas evitar aqueles erros do dia a dia que a maioria de nós cometemos”, pondera.

Se já faz parte da sua rotina uma alimentação natural, com legumes, carnes, frango, peixe, ovos, frutas e oleaginosas, apenas foque nela, diminua os erros e deixe o tempo passar. Sem dúvida, será o suficiente!

Você pode gostar