Arcanjo e outros presos para penitenciária e unidade prisional

Por

João Arcanjo Ribeiro e outros 17 presos em Cuiabá na Operação Mantus, deflagrada nesta quarta-feira (29) contra o jogo do bicho, foram levados para unidades prisionais na capital no mesmo dia.

Arcanjo ficou conhecido por comandar o jogo do bicho em Mato Grosso nas décadas de 80 e 90. O bicheiro foi condenado pela morte do dono de um jornal e outros crimes. Em fevereiro de 2018 ele ganhou liberdade após quase 15 anos na prisão.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (Sesp) de Mato Grosso, Arcanjo e alguns dos presos foram levados para a Penitenciária Central de Cuiabá (PCE).

Além da organização chefiada por Arcanjo, outro grupo criminoso liderado pelo empresário Frederico Muller Coutinho era investigado. Frederico e Edson Nobuo Yabumoto apresentaram diplomas de nível superior e foram encaminhados ao Centro de Custódia de Cuiabá (CCC).

O CCC recebe os presos que têm curso superior completo.

Outras três mulheres presas na operação foram colocadas em prisão domiciliar com monitoramento de tornozeleira eletrônica.

O genro de Arcanjo, Giovanni Zem Rodrigues, foi preso pela Polícia Federal em São Paulo e foi transferido na madrugada desta quinta-feira (30).

As investigações apontam que uma das organizações era liderada por Arcanjo e pelo genro Giovanni Zem Rodrigues, e a segunda organização era comandada pelo empresário Frederico Muller Coutinho.

Você pode gostar